VALORIZAÇÃO DO IDOSO NO REINO UNIDO


Assim que cheguei aqui no Reino Unido eu notei como os idosos participam de todo tipo de atividades culturais e de lazer:  visitam museus e galerias de arte; assistem cursos e palestras em universidades; são voluntários em associaçōes de caridade; comemoram festas e feriados com os amigos em clubes comunitários e pubs. O que eu quero dizer é que a maioria não depende dos familiares para 'ter uma vida' (nem fica trancada em casa vendo TV). Existe uma clara política pública de valorização da terceira idade. A idéia é evitar que se sintam isolados, sozinhos ( o que pode gerar uma possível depressão), tirá-los de casa, promover sua independência e interação com as outras pessoas. 

No prédio onde tenho aula, na Universidade de Liverpool, há sempre dezenas de pessoas acima de 65 anos. Elas estão matriculadas em cursos livres de curta duração, sobre todos os assuntos: História, Literatura, Línguas, História da Arte. Os cursos não são direcionados para os idosos - ou seja: eles interagem com pessoas de todas as idades que partilham do mesmo interesse. Num dos meus cursos tinha uma senhorinha de cerca de 80 anos, que pegava dois ônibus para chegar na universidade e aprender mais sobre Marc Chagall - não é bárbaro ?!! 



Para garantir acesso às atividades culturais e de lazer como essas, os idosos têm sempre passe livre ou um bom desconto. Além disso,  o transporte público aqui é muito bom e age-friendly. Existe também a preocupação com o acesso às ruas, a manutenção de calçadas limpas e seguras ( para evitar tombos) e a instalação de banheiros públicos.  Pelo que tenho lido na mídia ( e visto pelas minhas viagens por aí) , as cidades britânicas estão sempre se adaptando para garantir o bem estar dos cidadãos acima de 65 anos. Essa é uma preocupação crescente: hoje eles somam 10 milhōes de pessoas no Reino Unido e a expectativa é que esse número deva duplicar nos próximos 30 anos !

Manchester (noroeste da Inglaterra) é conhecida pela preocupação com a valorização e inclusão do idoso. Foi a primeira cidade britânica a fazer parte da  Age Friendly Network ( Cidades Amigas do Idoso) da Organização Mundial de Saúde. Participam dessa rede representantes do poder público, de ONGs, voluntários, empresários e representantes de organizaçōes de apoio aos idosos (há várias por aqui, como a Age UK). Eles desenvolvem e partilham idéias - como  projetos urbanísticos de espaços exteriores e edifícios - que propõem melhorar a qualidade de vida do pessoal da terceira idade. Veja aqui esse vídeo-reportagem da BBC bem bacana sobre o assunto. 

Gostou? Compartilhe:

Um comentário:

  1. Os idosos são integrados a planos de saúde com muita diferença de preço, como no Brasil? Outra questão: o valor do benefício inglês"por idade" realmente cobre as despesas do beneficiário quanto a moradia, alimentação, locomoção etc? Parabenizo a matéria e seu autor. Ótimo tema e lindo discurso!😃

    ResponderExcluir