QUEM SERÁ NOVO PRIMEIRO-MINISTRO DO REINO UNIDO ?


As eleiçōes britânicas acontecem daqui a quatro semanas: no dia 7 de maio. O pleito promete ser o mais disputado da história moderna do país. Segundo as pesquisas, os dois principais candidatos ao cargo de primeiro-ministro estão tecnicamente empatados nas intençōes de voto. 

Mas você conhece os dois principais candidatos ao cargo de primeiro-ministro do Reino Unido? Deixa eu te contar um pouco sobre eles:

(Lembrando: o eleitor NÃO vai votar diretamente no primeiro-ministro; ele vai votar num MP - Membro do Parlamento -, que vai representar o distrito onde o eleitor mora. O partido que tiver mais MPs no Parlamento - ao todo são 560 cadeiras - ganha a eleição e seu líder passa a ser o primeiro-ministro. Eu expliquei com detalhes o sistema eleitoral britânico aqui e aqui)

Os principais candidatos ao cargo mais importante da política britânica são: Ed Miliband, líder do Partido Trabalhista ( à esquerda, na foto acima) e David Cameron - candidato à releeição pelo Partido Conservador.  Existem candidatos de outros partidos (como o do partido de ultra-direita, chamado Partido UKIP, e o do Partido Verde), mas as chances desses candidatos ganharem o pleito são praticamente nulas. 

Quais são o perfil e as plataformas dos dois candidatos com as maiores chances?


Ed Miliband, o candidato do Partido Trabalhista

  • Para começar, se Ed Miliband vencer, significa que a esquerda volta ao poder no Reino Unido depois de oito anos de governo conservador.   
  • No centro de suas propostas está a promessa de investir 2.5 bilhōes de libras no sistema público de saúde (NHS) - uma instituição extremamente eficiente e que os britânicos têm muito orgulho e preocupação. Essa preocupação é justificada, pois para funcionar eficientemente, o sistema exige investimento constante. Miliband e seu partido criticam severamente a política de austeridade do atual governo - que reduziu o investimento no setor e terceirizou muitos dos serviços da saúde.
  • Miliband promete aumentar ainda o salário mínimo para 8 libras por hora (atualmente é 6,5 por hora) e também diminuir os impostos das pessoas que têm renda mais baixa. 
  • Mas de onde Miliband pretende conseguir essa verba toda para financiar as propostas acima? Principalmente aumentando impostos dos mais ricos - como o imposto que pretende criar para os contribuintes que são donos de mansōes avaliadas acima de 2 milhōes de libras. Dá para você entender porque os super ricos ficam de cabelo em pé ao pensar que ele pode vencer a eleição...
  • Uma outra proposta do candidato do partido Trabalhista é acabar com o contrato de trabalho conhecido como zero-hora,  que ele considera "escandaloso". Esse esquema de trabalho, inventado pelo governo Conservador, é o fim da picada mesmo - pois não garante ao trabalhador um mínimo de horas trabalhadas. Funciona assim: o empregador não é obrigado a providenciar um número mínimo de horas de trabalho para o empregado. E o funcionário, por sua vez, não é obrigado a aceitar o número de horas oferecido. É um esquema de trabalho que, na prática, faz com que e o empregado nunca saiba quantas horas vai trabalhar por semana e, consequentemente, quanto receberá de salário no final da semana. A firma faz contato com o empregado um dia ou dois antes e acerta as horas de trabalho para aquela semana. Ou seja: é um esquema que beneficia apenas os empregadores. Atualmente existem 700 mil pessoas que trabalham no esquema zero hour contract no Reino Unido - muitos deles imigrantes. O candidato Trabalhista promete acabar com esse esquema. 
  •  Milliband defende ainda a permanência do Reino Unido na União Européia - ao contrário do candidato conservador. Ele argumenta que a UE é importante para a nação pois garante oportunidades de comércio e trabalho, além de constituir uma força estratégica para assuntos como, por exemplo, o combate ao terrorismo ou o desenvolvimento de políticas para lidar com alteraçōes climáticas. 
Miliband enfrenta problema de imagem

Mas para dar tudo certo para Miliband, ele tem que vencer a sua imagem de geek (palavra que significa algo como 'esquisitao'). Vira e mexe ele aparece em fotos, como essas aí do lado, fazendo caretas, com um ar meio pateta... Para grande parte do eleitorado britânico, fica difícil imaginar um geek sendo primeiro-Ministro da nação. 

Ed Miliband, líder do Partido Trabalhista, tem 45 anos, é londrino, casado e tem dois filhos. É formado pelo curso de 'Filosofia, Política e Economia' da Universidade de Oxford e fez mestrado em Economia pela London School of Economics.

E David Cameron - o candidato do Partido Conservador - quais são suas propostas? 

David Cameron defende a continuação na estrada por uma economia mais forte.
Isso significa a continuidade da política de  austeridade?
  • Bem, David Cameron está concorrendo à reeleição, como eu já disse. É primeiro-ministro de um governo de coalizão (Conservadores + Liberais Democratas) - o que é uma novidade no Reino Unido; esse é o primeiro governo de coalizão desde 1945. Diferente do Brasil, né ?, que sempre tem um presidente eleito a partir de uma grande coalizão ( às vezes de mais de sete, oito partidos).
  • Uma de suas plataformas mais importantes - e que tem grande aprovação do eleitorado conservador - relaciona-se ao controle nas regras de imigração. Há cerca de 7.5 milhoes de imigrantes no Reino Unido; e a previsão é que esse número aumente, é claro. De acordo com o primeiro-ministro, esse crescimento provoca enorme impacto sócio-econômico ao país e precisa ser controlado. 
  • David Cameron conta com indicadores econômicos positivos que mostram uma sólida recuperação da economia britânica, depois de anos de recessão. Por isso, a mensagem dele é pela continuação "na estrada para uma economia mais forte", como mostra a imagem aí de cima. 
  • Mas aí vem o problema: para vencer a recessão, sua administração se valeu de severa austeridade econômica.  E isso é um pepino para ele agora , é claro, como candidato à reeleição. Cameron enfrenta sérias críticas aos cortes feitos especialmente no sistema público de saúde (NHS). Político experiente que é, ele alega que não foram cortes e sim adequaçōes orçamentárias.
  • Seu governo é também responsável pela introdução do "contrato de zero hora", altamente impopular entre a população, como expliquei acima. Cameron entrou numa saia-justa enorme quando, pressionado recentemente por um jornalista durante um debate eleitoral televisivo, reconheceu que não conseguiria viver num esquema de trabalho desse, inventado pelo seu próprio governo...
David Cameron, candidato do Partido Conservador

  • Outro abacaxi que Cameron enfrenta é explicar a razão do escandaloso crescimento do número de pessoas que têm que recorrer a esquemas emergenciais de doação de alimentos para sobreviver. Segundo dados recentes, cerca de 900 mil pessoas no país precisam da ajuda desses esquemas - conhecidos como food banks. Eu fiz um post, há um ano, explicando essa situação aqui

  • David Cameron, atual primeiro-ministro, é londrino e tem 48 anos. É casado e tem 4 filhos. Como o seu oponente, ele também fez a graduação no curso de 'Filosofia, Política e Economia' da Universidade de Oxford.
Leia também:

Como a Inglaterra evita a corrupção parte 1
Como a Inglaterra evita a corrupção parte 2
Política e ética na Inglaterra

Gostou? Compartilhe:

2 comentários:

  1. Oi, Claudia, à muito tempo leio seu blog. Muito obrigada por explicar tudo isso pra gente! É muito interessante :) (Você vai encontrar erros na minha escrita porque não sou brasileira rs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lissie ! Que bom que você curte o blog ! Valeu !

      Excluir